Colégio Antares Nossa Maior Estrela é voce FACEBOOK TWITTER
Aqui...ali...acolá, o portão da escola visto de uma janela

Nossa conversa começa nesse contexto: muitos olhares...diferentes observações....várias reflexões da janela da casa do educador sobre a ambiência informal do portão da escola. 

Sabemos que não é tarefa fácil compreender os acontecimentos que emergem nesse espaço de chegada, de saída, de despedidas e de reencontros. Ao tentar retratar a dinâmica do portão da escola é oportuno configurar as diferentes situações presentes nesse cotidiano, algumas delas, de difícil tradução pela subjetividade presente nas relações sociais, outras, se explicam por força dos procedimentos e atitudes resultantes do comportamento humano.  

O portão da escola revela em sua passagem a alma dos seus “passantes”. Nele as pessoas se cumprimentam, esperam seus filhos, netos, amigos e trocam palavras de afeto, brincadeiras e até confidências. 

O acesso aos ambientes pedagógicos só acontece por ele, uns chegam antes, outros perdendo hora, por diferentes circunstâncias, mas todos chegam, cada um a sua maneira, trazendo junto de si sonhos, projetos, angústias, crenças, valores, tristezas e novos desafios. Esse cenário possui diferentes atores, alunos, professores, funcionários, pais, toda comunidade que faz da escola um espaço vivo, dinâmico e prazeroso. 

O portão da escola testemunha o amor, quando pais e filhos se beijam saudosos ao final das aulas, namorados se dão as mãos num gesto de cumplicidade, amigos se abraçam à espera do próximo encontro. 

Podemos dizer que é um pedaço do portão da casa da gente, por representar segurança quando fechado e boas vindas quando aberto, além de revelar a boniteza do início e do final de mais um dia de vida escolar. 

Cada um que permanece por um tempo no portão vive a experiência de estar com o outro, seja para conhecê-lo, para colocar os assuntos em dia e até para falar de educação, pois nele são permitidos desabafos, elogios e troca de vivências. Como é interessante o portão da escola! 

Os grandes acontecimentos também podem fluir nesse local, pois é no convívio quando a natureza humana se identifica, fortalece laços afetivos e estabelece relações, independente do tempo de espera no portão. 

Importante lembrar que também se aprende nesse espaço, aprendemos a olhar para o outro, a observar o movimento das pessoas, a criar novos vínculos, a exercitar a tolerância, a reconhecer as diferenças e semelhanças humanas, sem contar os imprevistos que acompanham a nossa existência. 

As chegadas e partidas, as entregas e retiradas são sucessivas, cotidianamente, numa complexidade ímpar que nos conduz a diferentes interpretações, sem perder de vista que nossas considerações dependem do jeito como vemos o mundo. 

Assim, o portão é arte contínua, inacabada, e por mais estático que pareça um portão, é nele que a vida passa, todos os dias, numa constante poesia. 

Adriana Maria S. Vaz de Aguiar
Coordenadora pedagógica EF

Ana Maria da Silva Fortes Aguiar
Diretora Pedagógica

Mestres em Educação